[Vídeo] Tese vira dança e pernambucana está na final de concurso da Revista Science

Por: Tatiana Notaro, do Portal FolhaPE

Única brasileira entre os finalistas, a pernambucana Natália Oliveira, 28 anos, “dançou” a tese “Desenvolvimento de Biossensores para as Ciências Forenses”

A revista estadunidense Science tem uma competição mundial chamada “Dance Your PhD” (dance seu doutorado) cuja dica básica aos candidatos é: se você conseguir explicar sua tese em 30 segundos e for compreendido por qualquer pessoa, pode transformá-la em dança. Noutras palavras, se dá para explicar algo geralmente tão complexo bem rapidamente, é possível transmitir, e bem, dançando. O desafio foi aceito por 53 acadêmicos de várias parte do mundo e, entre os 12 finalistas, está a única brasileira da lista, a pernambucana Natália Oliveira, 28 anos, com sua tese “Desenvolvimento de Biossensores para as Ciências Forenses”. O vídeo foi gravado em duas tardes no Recife – uma no Lika, na Cidade Universitária, e uma num domingo, no Bairro do Recife – e a votação popular está aberta no site da Science até o próximo dia 30 de outubro. Clique e vote e assista ao vídeo.

Natália é pós-doutoranda no Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e desenvolveu um biossensor que pode identificar qualquer amostra biológica de origem humana (como sangue, sémen e saliva), mesmo que lavada a cena do crime. “Os testes rápidos que são usados para detecção de fluidos corporais humanos muitas vezes apresentam reação cruzada com outros animais e não conseguem detectar essas amostras após a lavagem com produtos de limpeza doméstico”, explica Natália. O biossensor funciona como as fitas de medição de glicose, comumente utilizada por diabéticos.

“A ideia do vídeo foi minha e da Vogue 4 Recife (companhia de dança da qual Natália faz parte). Quem me apresentou ao concurso foi o professor Jones Albuquerque, que é professor da UFRPE e pesquisador do Lika”, conta Natália. Inspirada na série CSI, Natália explicou a tese através de uma briga de gangue que termina em morte. “A perícia analisa, mas a cena foi lavada, então utilizam meu biossensor. Ele detecta e resolve o crime”, diz. O doutorado de Natália foi orientado pelo professor doutor José Luiz de Lima Filho, e a tese, apresentada este ano.

A “Dance Your PhD” selecionou 12 finalistas nas categorias de Física, Biologia, Ciências Sociais e Química, onde Natália está enquadrada. O finalista de cada categoria leva US$ 500 e o vencedor geral, mais US$ 500 e a participação no encontro da Sociedade Americana de Avanços da Ciência, no estado do Texas, nos Estados Unidos, em fevereiro do próximo ano. O trabalho de Natália lidera o ranking parcial.

Fonte: Folha PE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *