Pausa para “afiar o machado”

Muitas pessoas, nos dias de hoje, acreditam que apenas a força de vontade e competência técnica sejam suficientes para atingir o sucesso.

Existe uma parábola chamada “Afiando o Machado” que mostra a disputa entre um lenhador novo e outro lenhador velho sobre quem vai derrubar mais árvores, numa determinada área. O lenhador mais novo, aproveitando-se da sua força física, saiu machadando aleatoriamente, sem se aperceber que com o passar do tempo o seu machado ia ficando cego, com isso, mais esforço para machadar com menos resultado. Já o mais velho, aproveitando-se da experiência, levou vantagem vencendo a disputa, pois parou diversas vezes para afiar o seu machado.

O moral da história enfatiza a importância de se fazer uma pausa nos esforços produtivos, para dar a si próprio a oportunidade de uma reciclagem, uma renovação pessoal, de ordem: física, mental, espiritual e intelectual.

Embora achemos que nunca devamos parar, que a dinâmica da empresa depende de nós, que tempo é dinheiro, entre outros, um profissional efetivo sabe que, para não ficar para trás, é necessário um conjunto de competências, algumas delas só conseguidas com muito estudo e outras com trabalho duro, e que uma pausa para isso é necessária e obrigatória e fará a diferença na vida profissional e pessoal.

O aprendizado é um processo contínuo e infinito.  Assim como um machado bem amolado faz com que a força de um lenhador se torne muito mais eficaz no processo de cortar madeira, essa pausa para reciclagem, a que estamos nos referindo, fará com que o profissional alcance o sucesso mais rápido e de forma plena. Por esse motivo, quanto mais aprendemos, mais sabemos, mais fazemos e mais somos valorizados.

Por isso, tanto os profissionais quanto as empresas precisam entender a importância do “afiar o machado” para fazer com que os conhecimentos e habilidades técnicas possam ser renovados e aproveitados de maneira adequada por profissionais motivados e habilidosos, trazendo resultados muito mais relevantes para as empresas.

Um outro método para “afiar o machado” e que é significativamente benéfico, embora alguns recusem-se em implementá-lo, é o descanso. Às vezes, trabalhar mais duro e mais rápido, quando estamos esgotados física, mental e emocionalmente, apenas diminui o resultado dos nossos esforços. O descanso – mesmo que por um período curto – restaura as nossas energia e nos renova para mais uma etapa de trabalho.

“Se quiser derrubar uma árvore na metade do tempo, passe o dobro do tempo amolando o machado.” Provérbio Chinês

Por: Wilton Viana Jr

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *