Na Austrália, 60% dos jovens estão aprendendo profissões que vão deixar de existir

Recentemente, saiu um relatório que recomenda que se dê mais ênfase em capacidade/habilidades tecnológica, bem como desenvolvam também o espírito empreendedor do jovem. O relatório The New Work Order elaborado pela Fundation for Young Australians (FYA) que afirma que mais da metade dos estudantes do País estão se preparando para profissões que estão ficando obsoletas devido aos avanços tecnológicos. A previsão para essas profissões desaparecerem é de 10 a 15 anos segundo o mesmo relatório.

A Austrália começou a pensar no futuro dos seus Jovens, pois a forma de trabalhar está mudando.

Essa preocupação tem sido constante e de muito debate no Governo Australiano, levando o mesmo a repensar a aposentadoria para as pessoas mais velhas como os chamados baby boomers (é uma pessoa nascida entre 1946 e 1964),  pois com o despreparo dos jovens para o mercado de trabalho a longo prazo, o cenário de desemprego poderá aumentar caso não haja uma intervenção efetiva. Atualmente a taxa de subemprego e desemprego é relativamente pequena, porém, esse cenário pode mudar se a desigualdade no País começar a crescer. Por este motivo, é que a Austrália quer investir em uma geração inovadora e empreendedora de jovens que possam manter o atual padrão de vida que hoje se tem no País.

Nas terras dos Cangurus, o trabalho tem sido um “Pilar” muito importante para a subsistência, dignidade e felicidade da sociedade. E sem dúvida isso não é uma particularidade desse País. Certamente você já estudou na faculdade ou já ouviu que o trabalho nos ajuda nas necessidades básicas e complexas, proporcionando segurança financeira, saúde física e mental, bem como mantém a dignidade de muitas pessoas. Isso é verdade! De acordo com a Pirâmide de Maslow, nós vivemos para satisfazer as nossas necessidades, com o objetivo de alcançar a tão sonhada auto realização plena. Ou seja, tudo isso se trata justamente da hierarquização dessas necessidades ao longo da vida do ser humano. Todos querem um bom trabalho, que pague um bom salário e isso é algo que esse País tem desfrutado, pois vem apresentando um crescimento econômico relativamente forte e baixos níveis de desemprego.

Pensando no futuro, o Relatório The New Work Order sinaliza que o Governo Australiano deve incentivar os jovens a aprender habilidades digitais e o desenvolvimento do espírito empreendedor. Além disso, o mesmo relatório sugere algumas iniciativas, tais como a redução dos impostos para os trabalhadores de baixa renda e a concessão de mais direitos para profissionais freelancers. Essas ações poderiam auxiliar na preparação de um  melhor cenário econômico  e social para o futuro da Austrália.

Diante, deste cenário e de tudo o que abordei para todos vocês, fico pensando o que o Nosso país tem feito para garantir o futuro dos nossos jovens. Em 2014 e novamente em 2015, foi divulgado um relatório sobre a Geração Nem Nem. Essa é a geração é formada por jovens que não estudam nem trabalham e que cresceu de 20% para 25% de acordo com o IBGE.

Escrito Por: Ivaldir Junior

7 comments

  1. Isso se chama planejamento, coisa que nosso país não tem; não fosse pessoas da área de TI, como você Ivaldir, se preocupando em mostrar aos jovens a importância do setor, e investir para o progresso desse seguimento em nossa pátria, nosso futuro seria incerto. Ótimo post.

    1. Obrigado Gustavo. Acredito que precisamos nos espelhar em países proativos, países que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida da sua nação.

  2. Publicar as experiências e iniciativas de outros países, desperta os gestores e autoridades brasileiras e gera reflexão sobre as nossas práticas.

    1. Acredito que devemos sempre buscar melhorar através de experiências positivas, experiências que possam edificar nosso País e que despertam uma sociedade do sono eterno que atualmente nos encontramos. Nossos representantes (Políticos) precisam refletir e aprender com ações como essa que a Austrália pretende fazer.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *